BLOG DAS SERVAS

A PALAVRA DE DEUS E O CHAMADO Á SANTIDADE

Atualizado: 6 de set. de 2021



Elisa M. Bisol,sts


Como nos recorda o Papa Francisco na sua encíclica sobre a chamada à santidade (GEE), entendemos que a santidade está presente, de várias maneiras, desde as primeiras páginas da Bíblia; a Abraão, o Senhor propô-la nestes termos: «anda na minha presença e sê perfeito» (Gn 17, 1). O Senhor escolheu cada um de nós «para ser santo e irrepreensível na sua presença, no amor» (cf. Ef 1, 4). «Sede santos, porque Eu sou santo» (Lv 11, 45; cf. 1 Ped 1, 16).


Uma simples comparação pode nos ajudar a entender o caminho da santidade a que somos todos chamados. Imaginemos um trem. O trem depende dos trilhos para andar. Os vagões do trem somos nós e os trilhos são o caminho, a orientação, que levam ao ponto de chegada, o Reino de Deus, a casa do Pai. Os trilhos correspondem a lei do amor, aos mandamentos que o Senhor nos deixou para encontrar sua presença nesta vida, enquanto peregrinamos para a casa do Pai.


A Bíblia, este conjunto de livros, é uma biblioteca que guarda o maior tesouro que podemos ter acesso, o tesouro da Palavra de Deus e seus mandamentos, escrita ao longo dos tempos e preservada para nós até hoje como um manancial de agua viva que sacia a sede dos peregrinos viandantes para a casa do Pai. “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir na justiça (2 Timóteo 3:16-17).” Uma biblioteca de livros de pura sabedoria e inspiração, um guia e alimento espiritual para trilhar o caminho da santidade.


Santo é todo aquele que, reconhecendo humildemente sua fragilidade, se põe na escuta da Palavra de Deus , acolhe o amor como lei maior em sua vida, que se deixa condizer pelo amor, amor misericórdia, amor serviço, amor gratidão, amor que dá o primeiro passo ao encontro do outro necessitado de compaixão e perdão . Somos chamados a cuidar solicitamente da caridade: «quem ama o próximo cumpre plenamente a Lei". (...) Assim, é no amor que está o pleno cumprimento da lei (Rm 13, 8.10)".

Jesus explicou, com toda a simplicidade, o que é ser santo; fê-lo quando nos deixou as bem-aventuranças (cf. Mt5, 3-12; Lc 6, 20-23). Estas são como que o bilhete de identidade do cristão. A palavra «feliz» ou «bem-aventurado» torna-se sinónimo de «santo», porque expressa que a pessoa fiel a Deus e que vive a sua Palavra alcança, na doação de si mesma, a verdadeira felicidade.( Papa Francisco GE 24)


A santidade não está na eficácia e nem nos resultados que o mundo consumista e materialista prega. O evangelho de Lucas (7,47) nos recorda o encontro da mulher pecadora com Jesus. Mulher que muito amou e porque muito amou muito foi perdoada por Jesus. Deus não tem memória para seus pecados, mas sim para seu grande amor. Papa Francisco nos exorta: “Não desanimes, porque tens a força do Espírito Santo para tornar possível a santidade e, no fundo, esta é o fruto do Espírito Santo na tua vida (cf. Gal cinco, 22-23). “Quando sentires a tentação de te enredares na tua fragilidade, levanta os olhos para o Crucificado e diz-Lhe: «Senhor, sou um miserável!”. Mas Vós podeis realizar o milagre de me tornar um pouco melhor (GE)».


«Se Deus está por nós, quem pode estar contra nós?» (Rm 8, 31). Nisto está a fonte da paz que se expressa nas atitudes de um santo. Com base em tal solidez interior, o testemunho de santidade, no nosso mundo acelerado, volúvel e agressivo, é feito de paciência e constância no bem (GE 112).

O santo vive alegremente e com bom humor, carrega consigo, mesmo diante das cruzes, uma alegria sobrenatural, fruto da certeza de “sermos infinitamente amados” (GE 125).


A ousadia é outra marca dos santos. Eles nos surpreendem, desinstalam (GE138). Para além da tentação da acomodação, o Senhor nos pede para avançar para águas mais profundas (cf, Lc 5,4), a gastar nossas vidas ao seu serviço. Santa Dulce dos pobres dizia: “Se Deus viesse à nossa porta, como seria recebido? Aquele que bate à nossa porta, em busca de conforto para a sua dor, para o seu sofrimento, é o Cristo que nos procura (Santa Dulce dos Pobres)”. “ Porque a santidade «mais não é do que a caridade plenamente vivida( Papa Francisco, GE 21)».

“Tudo aquilo que fizestes a um só destes meus irmãos mais pequenos, a mim o fizestes”. Assim Jesus revela o critério decisivo do seu juízo, isto é o amor concreto para com o próximo em dificuldade. “... E no entardecer da vida seremos todos julgados pelo amor” (S. Joao da Cruz).

O vínculo familiar e comunitário é o lugar da vivência, é ali o espaço da Palavra e da Eucaristia, do perdão e da acolhida, das relações fraternas. Porque Deus é amor e para o amor nos vocacionou, para formar a grande família, na unidade e no respeito ás diversidades. Pois o amor tudo reúne, tudo abraça, tudo perdoa, tudo compreende (I Cor 13), tudo torna um só em Cristo Jesus (cf. Gl 3,1-8b).


“O santo é uma pessoa com espírito orante, que tem necessidade de se comunicar com Deus. É alguém que suspira por Deus: tem fome e sede da palavra de Deus (1Rs 19,7), ”minha alma tem sede de Deus ...(Sl 42)”; se ergue em louvores e se alarga na contemplação do Senhor” (GE 146). Não há santidade sem prolongados tempos de conversa, a sós, com Aquele que sabemos que nos ama (cf, Santa Teresa de Ávila). É indispensável “ estar com o Mestre, escutá-Lo, aprender D’le, aprender sempre (GE 150)”.

Por fim uma breve menção ao Arcanjo São Miguel que a liturgia celebra no dia 29 de setembro. Seus relatos se encontram tanto no Antigo como no Novo Testamento: no livro de Daniel 10,13.22, no livro de Judas 1,9, no livro do Apocalipse 12,7-9 e no livro de Josué 5,13-14 . Seu nome em hebraico significa


“Quem como Deus?” Aparece na bíblia exercendo diferentes missões: como líder do Exército de Deus contra as forças do mal, defendendo na hora da morte e defendendo os filhos do povo.

Na tradição da Igreja e na congregação das Servas, temos o Arcanjo São Miguel como santo e protetor. Com São Miguel, protetor e intercessor, e com todos os santos queremos proclamar que Deus está acima de todo mal, o Bem Supremo; acima de toda guerra, a Paz infinita; acima de toda morte, a vida sem fim.

- Um Viva a São Miguel Arcanjo “Quem como Deus?”.

- Um viva a Todos os Santos!

- Um viva a Palavra de Deus no meio do povo!

57 visualizações